Eleições presidenciais dos EUA: o magnata do rap Jay Z reuniu eleitores para Hillary Clinton

Os eleitores também foram convidados ao site de Clinton para participar do sorteio de um ingresso para o show gratuito de Jay Z, que acontecerá no dia 4 de novembro em Cleveland.

ARQUIVO - Nesta foto de arquivo de 22 de fevereiro de 2015, Jay Z chega à Festa do Oscar da Vanity Fair 2015 em Beverly Hills, Califórnia. Jay Z será a manchete de um programa gratuito de 4 de novembro de 2016 em Cleveland para encorajar as pessoas a votarem no democrata Hillary Clinton para presidente. (Foto de Evan Agostini / Invision / AP, Arquivo)Jay Z fez poucos shows nos últimos dois anos, pois se concentra em sua empresa de streaming, o Tidal. (Foto AP)

O magnata do rap Jay Z retornará ao palco para reunir eleitores para Hillary Clinton no estado decisivo de Ohio, disse sua campanha na terça-feira. O site do candidato presidencial democrata convidou os fãs a participar de um sorteio por um ingresso para o show gratuito de Jay Z, que acontecerá no dia 4 de novembro em Cleveland. O rapper e marido de Beyoncé também se apresentou em Ohio para apoiar o presidente Barack Obama durante a eleição de 2012, quando ele remendou seu sucesso 99 Problems para lançar uma referência ao rival republicano Mitt Romney.

Veja o que mais está virando notícia

Jay Z fez poucos shows nos últimos dois anos, enquanto foca em sua empresa de streaming, Tidal, embora ele também esteja programado para se apresentar no mês que vem na Índia no Festival Global Citizen contra a pobreza.

Músicos proeminentes apoiaram Clinton em sua busca para ser a primeira mulher presidente, notavelmente a superstar pop Katy Perry, que se descreveu como a fã número um de Clinton.

Miley Cyrus, a estrela pop conhecida por suas travessuras provocativas no palco, surpreendeu estudantes universitários no fim de semana em outro estado indeciso, Virgínia, ao bater nas portas dos dormitórios para encorajar os jovens eleitores a chegar às urnas para Clinton.

O rival Donald Trump teve poucos patrocinadores importantes, com uma longa lista de artistas, incluindo os Rolling Stones e Adele, pedindo ao candidato republicano para parar de tocar sua música em comícios.

Entre os poucos patrocinadores musicais de Trump está o roqueiro e entusiasta de armas Ted Nugent, que apareceu em um comercial para o bilionário, meses depois de convocar o Facebook para a execução de Obama e Clinton.