O Irã denuncia 'notícias falsas' da CIA sobre o ataque que matou Osama bin Laden em Abbottabad

A agência de notícias Fars, que é próxima aos conservadores iranianos, disse ontem que a publicação seletiva de documentos pela CIA relacionados à Al-Qaeda fazia parte dos esforços 'para pressionar o Irã'.

osama bin laden, CIA, Irã, abbottabad, marinha SEALUma baixa recorde para o alcance dos petrodólares: notícias falsas da CIA e do FDD com documentos seletivos da AlQaeda com referência a: O Irã não pode encobrir o papel dos aliados dos EUA em 11 de setembro, escreveu o ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad Zarif, no Twitter na quinta-feira.

O Irã acusou a CIA de espalhar notícias falsas sobre a república islâmica com arquivos recém-desclassificados apreendidos no ataque de 2011 no Paquistão, no qual o chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden, foi morto. A CIA divulgou na quarta-feira 470.000 arquivos adicionais encontrados em maio de 2011, quando os SEALs da Marinha dos EUA invadiram o complexo de Bin Laden em Abbottabad e o mataram a tiros.

De acordo com estudiosos da Fundação para a Defesa das Democracias (FDD), que tiveram permissão para ver o tesouro antes de ser tornado público, os arquivos lançaram uma nova luz sobre a relação obscura entre o grupo extremista sunita e o Irã xiita. O ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad Zarif, rejeitou as acusações.

Uma baixa recorde para o alcance dos petrodólares: notícias falsas da CIA e do FDD com documentos seletivos da AlQaeda com referência a: O Irã não pode ocultar o papel dos aliados dos EUA em 11 de setembro, escreveu ele no Twitter na noite de quinta-feira.

A liberação dos arquivos ocorre no momento em que o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, busca aumentar a pressão sobre o Irã, recusando-se a certificar um acordo nuclear histórico entre Teerã e as potências mundiais. O Irã nega qualquer ligação com a Al-Qaeda e forneceu apoio financeiro e militar para ajudar o regime sírio a lutar contra extremistas sunitas e outros oponentes.

A agência de notícias Fars, próxima aos conservadores iranianos, disse ontem que a publicação seletiva de documentos pela CIA relacionados à Al-Qaeda faz parte dos esforços para pressionar o Irã.