Começam combates entre soldados de Ruanda e da República Democrática do Congo

Ruanda é acusado pelas Nações Unidas de apoiar rebeldes na devastada República Democrática do Congo.

Soldado das Forças Armadas congolesas brandindo um facão enquanto assume novas posições na batalha contra os rebeldes M23 em Kibati, próximo a Goma, no leste da República Democrática do Congo. (Fonte: Reuters)Soldado das Forças Armadas congolesas brandindo um facão enquanto assume novas posições na batalha contra os rebeldes M23 em Kibati, próximo a Goma, no leste da República Democrática do Congo. (Fonte: Reuters)

Um tiroteio estourou na quarta-feira entre soldados da República Democrática do Congo e forças rivais de Ruanda em sua fronteira instável, disseram autoridades congolesas locais.

Os combates começaram antes do amanhecer em Kanyesheza, cerca de 20 quilômetros a nordeste da capital da província, Goma, e durou mais de quatro horas, disseram as autoridades.

Não se soube imediatamente se houve vítimas.

De acordo com um funcionário do governo local, as forças da RD Congo abriram fogo depois que um de seus soldados foi sequestrado por forças ruandesas na zona de fronteira.

Ruanda é acusado pelas Nações Unidas de apoiar rebeldes na devastada República Democrática do Congo.

Ouvi tiros, pessoas em pânico, disse um morador local que não quis ser identificado.

Mas o governador da província de Kivu do Norte, Julien Paluku, procurou minimizar a luta.

Houve tiroteios entre elementos do exército ruandês e das FARDC (o exército congolês) em Kanyesheza, disse ele à AFP.

Foram incidentes menores, não combates entre dois exércitos, disse ele, acusando o exército ruandês de desencadear a luta.