_ Não vaia! Vote ’: a aula magistral de Obama sobre como lidar com manifestantes

Todos se sentem e fiquem quietos por um segundo! Disse Obama.

O presidente Barack Obama sorri para a multidão enquanto faz campanha para a candidata democrata Hillary Clinton, sexta-feira, 4 de novembro de 2016, na Fayetteville State University em Fayetteville, N.C. (AP Photo / Gerry Broome)O presidente Barack Obama sorri para a multidão enquanto faz campanha para a candidata democrata Hillary Clinton, sexta-feira, 4 de novembro de 2016, na Fayetteville State University em Fayetteville, N.C. (AP Photo / Gerry Broome)

Em um ato adequado para um presidente e, mais importante ainda, um líder, Barack Obama indiretamente mostrou aos americanos por que eles deveriam reconsiderar emendar a constituição para dar ao homem um terceiro mandato na Casa Branca, afinal.

Tudo começou quando um manifestante, vestido com o que parecia ser algum tipo de uniforme militar e segurando um cartaz pró-Donald Trump, começou a interromper o discurso do presidente na Carolina do Norte. A multidão, que consistia principalmente de afro-americanos, começou a vaiar o homem e se aproximou dele para acalmá-lo. Mas Obama imediatamente pediu à multidão para se acalmar e não machucar o homem.

Espere, espere, espere, espere. Resistir. Espere aí, Obama gritou no microfone para a multidão.

Todos se sentem e fiquem quietos por um segundo! Disse Obama. Você tem um senhor mais velho que está apoiando seu candidato ... Vivemos em um país que respeita a liberdade de expressão. Parece que ele pode ter servido em nossas forças armadas - temos que respeitar isso, disse o presidente em um tom calmo que entusiasmou os apoiadores em aplaudi-lo por sua posição.

Não vaia! Voto. Não vaia, vote. Vamos, ele disse enquanto a multidão explodiu em aplausos.

No entanto, isso não impediu Trump de distorcer completamente os eventos e acusar o presidente de gritar com o manifestante.

Ele estava falando com o manifestante, gritando com ele, realmente gritando com ele, Trump disse em um comício diferente. A propósito, se eu falasse da maneira como Obama falou com aquele manifestante, eles diriam: ‘Ele ficou louco’, disse ele.

O dia da eleição nos EUA é 9 de novembro, quando os eleitores de todo o país votariam em favor de Hillary Clinton ou Donald Trump.